Saturday, May 21, 2016

Canção de Ninar

essa canção de ninar é tradicional no Japao , cuja origem de Takeda e me toca muito, pois fala de algo que nos faz mais irmaos do que o amor, fala da falta dele : A pobreza,abandono e exploração de trabalho infantil é como se uma menina obrigada a ser babá se auto acalentasse ao cantar sobre a situação miserável em que vive, sem ter nem roupas para vestir e se o bebê chora em suas costas , ela apanha ,grosseiramente contextualizando a letra . Um dia, ela foi violentamente retirada da família e mandada embora para trabalhar para uma família rica em uma aldeia do outro lado da montanha.Trabalho escravo . Todos os dias, como ela trabalha com um bebê em suas costas, ela se lembra de sua família, olhando para a silhueta das montanhas em direção à sua terra natal.
Pra quem gosta de cantar, ai vai a letra
Mori mo iyagaru
Bon kara saki-nya
Yuki mo chiratsuku-shi
Ko mo naku-shi
Bon ga kita-tote
Nani ureshi-karo
Katabira wa nashi
Obi wa nashi
Kono ko you naku
Mori wo ba ijiru
Mori mo ichi-nichi
Yaseru-yara
Hayo-mo-yuki taya
Kono zaisho koete
Mukou ni mieru wa
Oya no uchi
Mukou ni mieru wa
Oya no uchi

Wednesday, February 24, 2016

Sombras...

Quando sinto uma terrível necessidade de religião, saio à noite para pintar as estrelas.
Vincent van Gogh

Monday, December 14, 2015

Basquiat

A arte de Basquiat, chamada de "primitivismo intelectualizado", uma tendência neo-expressionista, retrata personagens esqueléticos, rostos apavorados, rostos mascarados, carros, edifícios, policiais, ícones negros da música e do boxe, cenas da vida urbana, além de colagens, junto a pinceladas nervosas, rabiscos, escritas indecifráveis, sempre em cores fortes e em telas grandes.Quase sempre o elemento negro está retratado, em meio ao caos.Há também uma dessacralização de ícones da história da arte, como a sua Mona Lisa (acrílico e óleo sobre tela) que é uma figura monstruosa riscada no suporte.O período mais criativo da curta vida e da carreira meteórica de Basquiat situa-se entre 1982-1985, e coincide com a amizade com Warhol, época em que faz colagens e quadros com mensagens escritas, que lembram o graffiti do início e que remetem às suas raízes africanas. É também o período em que começa a participar de grandes exposições.Quando Wahol em morreu 1987 e ele ficou muito abalado e isso interferiu em sua criação e deprimido morre em 1988 por over dose de heroina

Sunday, December 06, 2015

“A pele que eu habito” .

Essa mascara foi feita por mim em uma Oficina de Arterapia conduzida pela Cecília Finger, 03/12/2015 que nos provocou e nos deu o prazer de pensar e deixar reverberar dentro da gente sobre nossas estrutura, mascaras e a pele que nos compoem .Obrigada, Cicinha, por compartilhar com a gente a tua ideia ! !

Mascara é uma especie de alma exterior que uso para sobreviver, para poder passear entre os contraste do mundo e seus claros e escuros ,que me ajuda a ser séria, responsavel, me dá suporte para lidar com o outro, para trabalhar, para me relacionar, para conquistar meu lugar no mundo , para ter civilidade e não falar tudo o que sinto e penso, meu freio, minha balança, pois há que se ter um limite, um respeito com o próximo e me ajuda a não perder o respeito a mim mesma .Mas , apesar de usar mascaras, mesmo nelas deixo espaços vazios , sem preenchimentos para que a minha pele interior respire , para que eu não me cegue, para que eu continue a sentir,ver e falar a linguagem das flores que há no meu interior e que eu não me sufoque e que não esqueça do que sou verdadeiramente. Habito em um tecido fino , suave,muito delicado que reage ao menor impulso das emoções.Boas e ruins,que podem ser paradoxais , arrebatadas,desenfreadas,soturnas ,frias e sombrias, tanto quanto, flamejantes, vermelha, pulsante.Tenho todos os extremos dentro de mim , titãs e titânidas prontos para guerra. Esse meu tecido interior não peneira nada que consegue encostar nele, tudo que bate fica e é transformado no corpo , e pelo corpo.Portanto ,minhas mascaras criam essa barreira de filtragem externa e interna, pois tenho e sou sombra ... são camadas de proteção necessarias, dá gente e para gente . Estou na vida me contorcendo nessa pelicula que habito que é extremamente elástica , complascente mas , por isso precisa constantemente ser hidratada com carinho , fé, alegria, amor,paixão,"abraços e beijinhos e carinhos sem ter fim " para não craquelar,não envelhecer, não arrefecer, para renovar e continuar macia,sedosa,perfumada,saudavel,colorida em dourados ,todas as colorações latejantes, pigmentações vibrantes e acesas que eu sei misturar e conheço como fazer , mesmo com todas as cicatrizes e marcas que nela há. Essa minha pele interna quando eu cuido bem é um mar de flores, como as flores do deserto do Atacama e se sente feliz, do nada, sem nada à parte de mim, apenas por ser e existir .

Thursday, December 03, 2015

Adorados

O principal objetivo da terapia psicológica, não é transportar o paciente para um impossível estado de felicidade, mas sim ajudá-lo a adquirir firmeza e paciência diante do sofrimento. A vida acontece num equilíbrio entre a alegria e a dor. Quem não se arrisca para além da realidade jamais encontrará a verdade.
By Eliana Lopes de Andrade
Tecnica cera sobre  lixa 

"É áspero onde se faz dor .Superficie rugosa, sulcada,lavrada...Fissuras 
È mortifero permanecer na dor .Tecido encarquilhado , sem viço, só vicio,fendido. ..Ofendido .
Assimila - dor .
Compara - dor
Compreende- dor .
Transforma – dor.
Cala –dor
Germina – dor
Liberta – dor
Voa-dor "

Desenho ,reflexoes ,devaneios e reverberações minhas a respeito da Oficina de Arteterapia conduzida por Cíntia T Rodrigues Magacho 03/102015 Obrigada , amiga por dividir sua ideia ! Parabens
Bittencourt Arteterapia
#Arteterapia
#JungNaVeia

Tuesday, November 03, 2015

Uma musica para o poema de um amigo

Jaime Ovalle era amigo muito íntimo de Manuel Bandeira e musicou,varios poemas dele.Manuel Bandeira gostava bastante de música, tanto erudita quanto popular, dizem que ele tocava um violão basiquinho e segundo o livro "Vida Musical", de Vasco Mariz, é um dos poetas mais preferidos dos músicos do Brasil, com pelo menos 48 poemas musicados 72 vezes, estes dados são de 1997, portanto, o número deve ser bem maior, pois sempre havera uma nova canção para um velho poema . 
Abaixo dois poemas  do Manuel Bandeira musicados 




Friday, October 30, 2015

Das Alquimias Internas‬ e a resignificação do lixo

É preciso que se revolva o solo , que se permita que a luz do sol pleno purifique e “cure” toda a materia organica apodrecida de nosso lixão interior . Deixar curtir sob o calor solar   estrume espalhado por toda parte ,para que morram os germes, para que perca o odor,que seque o chorume, e se torne adubo, que possa tornar -se solo fertilizado e não um lixao, um aterro de detritos abandonados . È Necessario passear por sobre a imensidao do oceano poluido de nossas memorias e selecionar que tipo de material há boiando , embalagens vazias, jogadas,à deriva e sem uso, que, muitas vezes , mata,aprisiona , sufoca nossos lindos , diversificados  e coloridos serezinhos marinhos .Precisamos selecionar o que vamos descartar , incinerar o que não tem valor. Resignificar o que tiver materia  prima de qualidade... 

Selecionar,despoluir, fertilizar, florecer, navegar, voar ...Na imagem: Meu suporte de luz, feito de material reciclavel que resgatei do meu lixo pessoal produzido durante essa semana como exercicio  em uma  aula sobre o universo simbólico da Alquimia na Psicologia Analítica com a  Professora  Bruna Quinet  no  Curso de Formação em Arte terapia da Clinica de Pasicologia e Arteterapia Danielle Bitterncourt . " Et que la lumière soit"




Como sou aquela pessoa que fica  passeando  entre o  universo da arte educação  e  o estudo da arte terapia,  e pensando no meu suporte de luz,  me lembrei   que há um lindo e sensacional  trabalho de um casal inglês :  Tim Noble e Sue Webster, que  selecionam  o lixo urbano e o transforma em arte.Os artistas recolhem lixo pela ruas de Londres e projetam luz  no que  a principio  parece  ser,apenas . um amontoado disforme  de tralhas sem  serventia .Mas, ao serem submetidas a luz, a pilha de lixo, que na verdade é uma escultura , projeta sua silhueta  na parede, revelando a verdadeira face da  arte do casal. È extremamente poetico e  me faz pensar em   muitos links que posso fazer com o que eu  escrevi logo no incio da postagem sobre nossos lixos internos...  Por hoje é sóm preciso pensar mais sobre o assunto ... fiquem com a imagem das maravilhosas esculturas de lixo

Wednesday, October 14, 2015

A respeito de portas

Obra de Vladimir Kush Vladimir Kush  nasceu em Moscou 1965 é um  pintor que se identifica com o "realismo de metamorfose"  um tipo de estilo que  usa elementos nos desenhos  e pinturas que formam imagens "impossíveis" a partir de   elementos possiveis , criando uma  atmosfera simbólica .Atualmente ele  vive  na cidade de Los Angeles , Estados Unidos.


Devaneios Nanaliticos : Somos feitos de pó de estrelas e isso está tão dentro da gente que inconscientemente sabemos que nascemos para brilhar e sermos felizes, por isso essa busca eterna .Quando uma porta das muitas felicidades que a vida nos proporciona se fecha , outras se abrem em paralelo isso acontece todo tempo porque a vida é movimento . Mas ,como detestamos perder, muitas vezes ficamos olhando tanto tempo para a porta que se fechou , perdemos tanto tempo lamentando o fato, que não visualizamos as oportunidades que  se materializam generosamente para nós, diante de nossos olhos .Oportunidades de felicidade esticando a mão e sorrindo para nós , mas não conseguimos ver .. Deus ( ou a energia cosmica, seja la o que voce acredita que tenha força e poder sobre-humano ) costuma responder nossas orações (pedidos,desejos,ansiedades) mais rapido do que somos capazes de ve-las e percebe- las .Mais do que portas abertas, quem sabe, precisemos querer , como nunca , o acesso à  chave da sabedoria  pois as vezes é necessario trancar  para sempre algumas coisas , não é  mesmo ?? . 

Sunday, September 13, 2015

De Profundis -

Há dias, não raros, em que me sinto dentro da animação onirica do Miguelanxo Prado.Ao mesmo tempo sou  a sereia,o silencioso e livre ser subaquatico , sou a moça solitaria da varanda e sua trilha sonora a espera do amado,sou o pescador preocupado com a subsistencia,a criança que brinca com fenômenos da natureza.Sou a gaivota que pode ver alem do mar revolto. Sou o barco açoitado pelas tempestades.Sou a propria tempestade.Sou o desenhista sonhador.Uma pintura idealizada.O oceano profundo, cheio de cores, vida ,possibilidades e misterios.O tudo e o nada! Eliana em suas profundezas.

Wednesday, July 01, 2015

O que vi na agua - Frida khalo


"A imaginação não é mais do que a pessoa arrebatada nas coisas." já dizia Gaston Bachelard em sua maravilhosa obra "A agua e os sonhos " 

Óleo sobre tela
36 "x 27 ¾"
Coleção de
Daniel Filipacchi
Paris, França

                   Pensaram que eu era uma surrealista ,mas  eu não era.Nunca pintei sonhos.Pintava a minha própria realidade" Frida Khalo 

Há algum tempo que quero  falar sobre essa  obra e como me sugere coisas muitos profundas  que  ainda estou digerindo, voltarei a falar nela de modo mais  "pedagógico".Estu buscando mais informações  tecnicas sobre ela. Hoje quero dar uma viajada pessoal na obra  e dividir com voces minhas impressões e gostaria de ler nos comentarios as impressões de voces também.Esta pintura é , talvez, a minha pintura preferida da  Frida Khalo , porque  deixa não é   o auto retrato comum de  seus trabalhos , quebra um pouco o  movimento de suas obras, muda o angulo , mas  ao mesmo tempo subverte  o olhar e me parece  ser seu auto retrato interior. A obra  me conecta quase que automaticamente  aos  estudos e tecnicas da Psicologia Analitica  - Terapia Jungiana e deve ser por  isso que me é especial ,além do valor estetico e historico da obra, óbvio .A agua é usada como um dos simbolos do inconsciente e assim, como boa  parte do nosso planeta, é coberto pelo mar,  assim como 70 % do nosso corpo é composto de agua, boa parte de nos mesmo está  submersa em  uma espécie de  mar interior . A arte visual é uma das ferramentas mais eficazes para se fazer esse mergulho e é utilizada como meio de acessar conteudos do inconsciente  na Arteterapia. Acho impressionante  como a obra de Frida remete ao  grafico da estrutura da psiquê em que  é usado o iceberg como metafora.Se ela teve alguma influencia ou leu algo sobre os estudos do inconciente , psicologia analítica que pode te-la influencia de alguma maneira, não consegui saber,mas a  estrutura é  muito semelhantee amaria ter  a oportunidade de conversar com ela sobre a Obra e  seu processo de individuação.



 Essa obra é  chamada "O que eu vi na água." .
Dentro dos estudos da psicologia analitica Junguiana, há um trabalho com os simbolos imageticos que são acesssados .A  água  pode simbolizar a origem da vida, a fecundidade, a fertilidade, a transformação, a purificação, aforça, a limpeza.A água é elemento primario e vital, ela é considerada o ponto de partida para o surgimento de qualquer elemento com vida, ou seja, a origem e o veículo de toda vida  e, esse simbolo, permeia toda a historia do homem e inclusive todas as manifestações ligadas ao Sagrado.Ao contrário de muitas das pinturas de Frida  essa não tem nenhuma imagem dominante central ,apesar do pé nos chamar a realidade. É uma obra simbólica que descreve vários eventos na vida da artista na qual ela inclui muitos elementos de trabalhos anteriores e elementos que usaria ,mais tarde ,em outras pinturas. Para facilitar os estudos dos periodos das artes visuais  há uam tendencia a classificar as obras em periodos , portanto há os que insistem em classificar as obras de Frida  como  Surrealismo, mas Frida não é  surrealista , ela mesma tratou de desfazer essa ideia e afirmou ''Pinto a mim mesmo porque sou sozinha e porque sou o assunto que conheço melhor.''Foi considerada  surrealista , porque seus trabalhos tem um uma  onirica e é cheia de metaforas e simbolos mas, ela não e encaixa no  surrealismo , ela  não se encaixa a estilo algum,ela  deixou fluir  suas telas  a sua sua dor através das imagens .No reflexo da  água há imagens do passado e do presente, a vida e a morte, conforto ,medos,frustrações ,perdas e novas ideias .Como se ela olhasse em um espelho  fluido a sua frente em estado de relaxamento, mergulhada em sua própria  profundeza . A Agua ,parada,  eclode em  imagens.Os pés, membros que nos  aterra , que nos dá firmeza  para caminhar,ficar ereto .Os pés ,que  são  essenciais para que  possamos nos locomover, nos dá autonomia  para  seguir   me remete a uma  especie de flor de lótus, que se alimenta do que está no fundo dessa agua, como que  passeasse   entre o consciente e  o inconsciente com so dedos apontados para cima e para baixo no relfexo .A flor de Lotus  precisa do que encontra  nas suas raizes que vão nas  profundezas, no meio à lama e ao lodo do fundo dos  lagoas e lagos vai  se fortalecendo e subindo à superfície para florescer com notável beleza. O simbolismo da Flor de Lotus  está ligado  especialmente nesta capacidade de enfrentar a escuridão e florescer tão limpa, tão bonita e tão especialmente   colorida . Já pararam para pensar que mesmo   sendo seus temas tão intensos e as vezes tão tristes Frida Khalo usa cores vibrantes  e luminosas ? Pensando na importancia que ela deu aos seus pés   nessa imagem , inclusive pintando as  unhas  em vermelho , me remeto  ao momento em que ela teve sua perna  amputada e escreveu na legenda de um desenho : “Para que preciso de pés quando tenho asas para voar?” E Frida era assim, mergulhada em si mesma, sem medo de entrar em contato com o que lhe magoava, o que lhe doida, o que lhe limitava,o que lhe dava alegria e prazer,foi transformando tudo em cores e formas .Registoru  os seus conteudos mais intimos em suas telas .A arte  foi para Frida  catarse, alento e sua própria vida.



Frida raramente falava de suas pinturas, mas em uma conversa com Julien Levy , que  foi um negociante de arte e proprietário da Galeria Julien Levy em Nova York , descreveu a obra  como"É um retrato do que o tempo passa ... a tempo e jogos para crianças na banheira e tristeza do que tinha acontecido a ela no curso de sua vida ".

Embora a pintura é assinada e datada "1939" foi realmente pintado no ano anterior. A pintura sem assinatura e sem data foi exibida em Paris por André Breton, em janeiro de 1939. Quando ele voltou para o México, Kahlo assinado e datado "1939". Frida deu a pintura para seu amante, fotógrafo Nickolas Muray como pagamento de uma dívida de US $ 400 que ela tinha com ele.



Por Eliana Mª  Lopes S. de Andrade

Graduada em Licenciatura Plena em Artes Visuais
Arte Educadora por amor
Artista Plastica por vicio
Arteterapeuta " em  desenvolvimento" 
Apaixonada pelo mundo das Artes

Friday, June 26, 2015

Fruir,fluir e flanar

Porque a Arte nos lembra o tempo todo que somos feitos a imagem e semelhança do Criador, seres criativos .Somos divinos no momento da fruição da arte, na fluição dos sentidos, no flanar das texturas,tons,cores,harmonias,melodias,formas,volumes,pulsação e luz...

Thursday, June 25, 2015

Bola de meia, bola de gude...


A roda é uma das maiores descobertas do ser humano.Digo descoberta ,pois é claro que a  as esferas sempre estiveram a disposição , foi a partir de observação da natureza , que está  repleta  de formas circulares,esfericas , elipticas e ovoides  que veio a ideia de fazer a roda e todas as invenções que  vieram a partir dessa forma.
A bola é mais antiga ainda que a roda , é o brinquedo mais antigo do mundo e existe há mais de 6.500 anos, segundo a arqueologia. As primeiras  bolas foram  feitas com crinas de animais , palha de coqueiro, palmeiras ou fibras de bambu. A bola de futebol ficou conhecida popularmente no Brasil a partir de 1894, quando Charles Miller trouxe para o País as regras do jogo.

Desenhos realizados em cavernas retratam homens segurando objetos esféricos feitos com pedras. Desta forma, acredita-se que as primeiras bolas  tenham sido ferramentas de caça do homem pré-histórico.

  SERRA DA CAPIVARA – PIAU - BRASIL
 Arte Rupestre com sitaçoes de jogos com  bola    



Ha na historia da humanidade diversos outros registros da utilização do objeto em

civilizações da Antiguidade, como a grega, a romana e a japonesa.

Em muitos casos, as bolas eram elementos centrais de rituais religiosos e celebrações

mitológicas.





O poeta Homero (do século IX ou VIII a.C.), conhecido por ter escrito a Odisséia, escreveu um livro inteiro só a respeito da esferística — nome que se dava ao conjunto de modalidades envolvendo a esfera

Há uma serie de estudos e pesquisas sobre esse objeto esferico tão amado pelo ser humano e como todo movimento humano a principio foi o da procura pela subsistencia (Primeiro a obrigação depois a diversão).A bola e objetos esfericos foram utilizados como ferramenta para caça, domesticos para triturar alimentos para fazer farinhas , como os graos, por exemplo. 


Carl Jung, um dos pais da psicologia moderna, fala algo que a mim, alem de estudante da psicologia analita dentro do universo da arteterapia e arte educadora, me chama muita atenção;Ele ,em seus estudos ,levanta a teoria que a historia das artes visuais , na qual a vida do homem que é contada atraves de seus registros imageticos, com seus simbolos e arquetipicos ,desde a Arte rupestre até a arte contemporanea que é  bastante conceitual , se repete internamente em nossa psiquê ...A historia imagetica do homem está dentro de nóse eu  sou apaixonada por essa ideia .Isso explica nossas garatuchas quando bebes  e  passamos para desenhos  com palitos, depois com  olhos na frontalidade  até chegar em nossa capacidade de sintese e estilização  das coisas ,de imagens quando desenvolvemos nossa  cognitividade e habilidades intelectuais .



                          Tsu Chu China Antiga, por volta de 3000 a.C, os militares chineses praticavam um jogo que na verdade era um treino militar. Após as guerras, formavam equipes para chutar a cabeça dos soldados inimigos

Pĭla. Pĭla Lusoria – Uma bola. O jogo de bola era uma atividade  muito apreciada tanto entre os gregos quanto entre os romanos,era  jogado desde uma esfera  feita de cabelos, como  algumas rechedas com penas 
Astecas e Maias 


Bola de Gude- Detalhe in Jogos Infantis de Pieter Bruegel   



O indio brasileiro, que teve seu territorio invadido e cultura devastada, desrespeitada ,ignorada  pelo homem dito civilizado ,e que até hoje é visto por muitas pessoas como  seres  intelectualmente   mediocres e incapacitados de  produzir  conteudos mais elaborados, somente por nao ter uma linguagem escrita , nao levando em consideração sua linguagem verbal e  sua arte simbolica observadas em  suas pinturas e grafismos extremamente  complexos , nao  fica atras dentro da historia das civilizaçoes .

Há além de registros de bolas feitas de bexigas de animais, folhas e fibras vegetais, nossos indios desenvolveram a bola de latex feita de seiva da mangabeira  que acho um luxo em materia de  tecnologia  de brinquedo e artefato  .
Isso sem falar na peteca... outra "invensão " nossa que fica para uma outra postagem 


Essa mania que uma parcela da população brasileira desprovida de informação e  imersa em um preconceito e complexo de vira latas, levam a pensar que o que os nossos indios  fazem , são meros "improvisos".Como muito  irresponsavelmente foi citado nesse jornal aqui 

O Chamado Homo Sapiens, foi o desenvolvedor das artes , da manufatura de ferramentas e  capacidade de pensamento simbolico e abstrato.

As vezes , não raro, voltando o meu pensamento  para Carl Jung  e o processo interno do homem, se dando como  o  processo  evolutivo da intelectualidade e produção   da humanidade,penso que algumas pessoas que vivem no mundo moderno ainda nao conseguiram chegar , psicologicamente e intelectualmente falando na  fase do Homo sapiens.Me parecem como  trogloditas    que usam smarths Phone ,dada a rusticidade de pensamento e incapacidade de abstrair as coisas  e entender metaforas..,

Para suavisar meu dia e desopilar o figado de ver e ler tanta  besteria, vamos ouvir  um dos nossos mestres das metaforas que muito se inspira na nossa cultura indigena e povos da floresta  .Sente o som ! 


Wednesday, June 17, 2015

Dilma, a Biblia e os totens

"O homem, como podemos perceber ao refletirmos um instante, nunca percebe plenamente uma coisa ou a entende por completo. Ele pode ver, ouvir, tocar e provar. Mas a que distância pode ver, quão acuradamente consegue ouvir, o quanto lhe significa aquilo que toca e o que prova, tudo isso depende do numero e da capacidade dos seus sentidos. Os sentidos do homem limitam a percepção que este tem do mundo à sua volta. '
                “Além disso, há aspectos inconscientes na nossa percepção da realidade. O primeiro deles é o fato de que, mesmo quando nossos sentidos reagem à fenômenos reais, a sensação visuais e auditivas, tudo isso, de certo modo, é transposto da esfera da realidade para a da mente." Carl Jung 

video

Me chamou a atenção as  impressoes  de Dilma sobre a Biblia e contextualizado à leitura da mesma com sua realidade  e   momento unico e  muito dolorido em que ficou presa e  foi torturada nos  sombrios anos da Ditadura Militar .Observando-a  nessa fala,  esqueci completamente  do cargo que ela  ocupa e  me atentei  ,apenas,   para o ser humano que  relata  um momento dificil de sua vida de modo natural,  como se estivesse apenas conversando com um amigo, e nao falando  para uma infinidade de pessoas .Nesse exercicio de distanciamento da figura famosa,sem me  importar com o  suposto "crime" que a tenha levado  para a prisão, apenas a observei e acolhi o relato.Vi no gestual, na  sua fala que a vezes embarga e principalmente no olhar  que  esse tema , ainda,  a sensibiliza e emociona.
Nao  é facil a gente lembrar de momentos de solidão, a pensar  dentro de uma prisão, que mesmo em tempo de não ditadura, são locais terriveis.A solidão imposta  é cruel.
Imagino que a Biblia tornou-se para ela ,naquele momento , um oasis, um meio de viajar para fora dali  , um refugio , alento e um modo de  se  comunicar com  outras pessoas .

Arte Bizantina 

Sou leitora da Biblia desde de criança, e ja perdi a conta de quantas vezes a li de capa  a capa...Sei inclusive os titulos  de  todos os 66 livros dela de memoria e cantando (coisas que a gente aprende quando criança e jamais esquece) .
Quando , na Faculdade de Artes,  estudei  historia da arte antiga  ocidental eu era uma das melhores alunas  , pois parte da iconografia desse periodo  esta ligada a fé cristã e historias da Biblia,  e fazer  leituras dessas obras de arte  e seu contexto era muito   facil para mim.

Ao inves de me ater a boçalidade de quem esta  fazendo chacota do depimento , prefiro pensar na beleza que é um livro e  no poder que  as palavras de alento  pode conter nele.Deixar de lado essas pessoas que ,ignorando  todo um  contexto , atiram pedras,por  nutrir odio a um partido politico  e  perdendo   o que ha de precioso nesse  depoimento que é a oportunidade  de se colocar no lugar dela ,como personagem , (coisa que fazemos  o tempo todo lendo ,vendo tv ou filmes) e perceber o  quanto a  fala tem  emoção  ao se referir  ao Livro Sagrado  e o peso da solidão que ela sentia  e do  alivio que possivelmente teve  nesse periodo.A  linguagem da Biblia é muito poetica e por isso a metafora é algo corriqueiro e compoe a estetica e o estilo literario dela.Nao por acaso, pois a Biblia foi escrita  no oriente e segue  a estetica da escrita oriental.

Pergaminhos  Biblicos 

Comecei a ver a entrevista inteira e nao consegui passar dos  7 minutos ; Nao por ser desinteressante  e sim, porque essa fala dela  que  postei acima , o  trecho que selecionei me chamou muito atenção como pessoa, arte educadora,  estudante e arteterapeuta em formação , quando ela se refere as imagens, metaforas , seus desenhos , totens e é neles que irei focar agora .

  Há uma  definição bem sintetica  e didatica para  Totem que gosto que é a seguinte;  "Um objeto natural geralmente animal,  que serve como  um distintivo, emblema, simbolo ou um meio de identidade pessoal ou espiritual "
 Os  Totens se manifestam por meio dos  arquetipos, que sao os conteudos  psiquicos  do inconsciente coletivo.Os arquetipos sao as principais estruturas de nossa personalidade.Os totens de algum modo quando sao reproduzidos por diversos povos , ou individualmente como  no caso da presidentA  que relatou  como apenas e  somente  fosse um desenho  colorido ,sem se dar  conta  que  pode ter sido usado, por seu inconsciente , assim como fazem os  nossos  sonhos  , como  regulador psiquico  e que no movimento de   montar  a estrutura do desenho   ela foi  reorganizando  as prioridades de forças  e de  todo conteudo interno que ela tinha represado ali dentro da prisão sem poder falar com ninguem. Haviam  retirado de Dilma  todos os seus direitos , ao desenhar seu totem, ela  possivelmente reafirmava, atravez do simbolos do inconsciente, das "caras " que ela foi inserindo nesse toten  a sua identidade  pessoal e espiritual,...Fiquei numa curiosidade enorme para saber que animais ela usou  no seu desenho  e quem estava  na base , meio e topo dele.Se tinham asas, garras, caldas,pele,plumas,bicos ,dentes afiados, tudo isso é informação para a arteterapia  . Bendito seja quem deixou esses lapis de cera e papel a sua disposição,

Quando desenhamos , de modo aleatorio , sem preocupação estetica, como fazemos,  por exemplo,  quando estamos  falando ao telefone, ou  como Dilma fez na prisão,  é comum, por estarmos relaxados,  acessarmos conteudos  psiquicos, e "Falamos' com o inconsciente atraves da imagem . Ao desenhar esse totem  é possivel que  tenha sido uma tentativa do  incosnciente da Dilma de organizar o caos psicologico que estar na prisão e sofrer  torturas  pode ter causado   a  ela naquele lugar. Nao  é por acaso. Abaixo, como exemplo , um totem que eu desenhei no inicio  do ano a partir de uma  monotipia e  que tem muito a ver com meu processo psiquico de organização ,individuaçao e  reconhecimento  de contextos internos meus  .
O Morcego ,a cobra , o felino e o humano  by Eliana Andrade 

Um detalhe que achei  interessante que ao desenhar, metaforicamente abriu caminho para o outro, simbolicamente  seu  inimigo  e algoz .Ao entregar o desenho, além de entrar em contato afetivo com  quem representava o seu aprisionamento ,(observem o semblante dela quando fala sobre o desenho e de fazer alguem feliz se ilumina  ) ela consegue  um momento de  alivio, recupera  uma fatia de humanidade em um local onde era tratada como bicho  e ainda  conseguiu conquistar a simpatia  do  carcereiro  para que ele  levasse a Biblia para outros  encarceirados.Quem sabe, tambem,   alivio para o soldado tão jovem .
Isso é de uma  beleza poetica enorme para mim !!  
Como estou  mergulhada no mundo das imagens da Arte e da  arteterapia, me emociona muito  ter visto esse depoimento  e  gostaria muitissimo de ter a oportunidade de um dia dialogar  com a presidentA sobre esse seus desenhos de dentro da prisão.São apenas devaneios sobre  o totem presenteado e curiosidade gigante de ver esses desenhos  mas,pensando em tudo isso , me lembro  da maxima da psicologia analitica Junguiana  que diz  : Conheça todas as teorias, domine todas as técnicas, mas ao tocar uma alma humana, seja apenas outra alma humana.... de Carl Jung



Detallhes do Juizo Final 
Michelangelo 

Por Eliana Lopes de Andrade @nanamada
Arte educacodora-Artista Plastica-Arteterapeuta em formação  - Humana ,mas  que as vezes nao se sente  terraquea .





Monday, June 15, 2015

Degg Gui by Cheikh Lô

Sente esse som !! 

Cheikh Lô faz uma especie de " Funk Islâmico" e é um cantor senegalês muito amado. È ligado a poesia Sufi que eu particularmente amo ler ."Degg Gui" inclui uma contribuição vocal de muito aclamada cantora brasileira Flavia Coelho "Degg Gui" é sobre pessoas que falam demais.Sua música é uma especie de afirmação da vida de Cheikh é um contraponto muito necessário no mundo islâmico para o fanatismo que somos confrontados diariamente na mídia.

Wednesday, June 10, 2015

A CRUZ NÃO É UM SIMBOLO DE DOMINIO E POSSE EXCLUSIVA DE CRISTÃOS !!I

Isso explica fácilmente porque algumas religiões que buscam se aproximar do cristianismo dos primórdios tempos pós-morte de Cristo rejeitam e até mesmo aboninam esse símbolo como objeto de adoração e reverência por sua origem de culto pagão. Estou fazendo um pequeno apanhado HISTÓRIA DA ARTE CRISTÃ e para facilitar a compreensão e observação das obras de arte,vou fazer algumas postagens específicas, de simbolos importantes para esse período da arte.Veremos nessa postagem especificamente algumas formas de seu simbolo maior.
CRUZ .Palavra de origem latina,cruce – significa antigo instrumento de suplício, constituído por dois madeiros, um atravessando no outro, em que se amarravam ou pregavam os condenados à morte. P. ext. aflição, pena, infortúnio.
Salvação – do lat. salvatione –, ato ou efeito de salvar.
Ao contrário do que se pensa,a cruz é um dos símbolos humanos mais antigos e é usada por diversas religiões, inclusive a cristã. Ela normalmente representa uma divisão do mundo em quatro elementos (ou pontos cardeais), ou então a união dos conceitos de divino, na linha vertical, e mundano, na linha horizontal (Koch, 1955).
A cruz (†) é uma figura geométrica formada por duas linhas ou barras que se cruzam em um ângulo de 90°, dividindo uma das linhas, ou ambas, ao meio. As linhas normalmente se apresentam na horizontal e na vertical; se estiverem na diagonal, a figura é chamada de sautor, ou aspa.Cruzes sempre foram usadas para diversos propósitos, principalmente na matemática.
Cruz de Tau, usada pelos franciscanos no cristianismo.O número romano para dez é X (decússis, em latim).
No alfabeto latino, a letra X e a forma minúscula do T são cruzes.
O caracter chinês para dez é 十 (ver numerais chineses).
A adaga ou obelus (†).
O símbolo de adição (ou soma) (+) e o de multiplicação (ou vezes) (×).
Cruzes são normalmente usadas como sinais, por serem fáceis de se fazer com canetas ou lápis, e tornam menos confuso o texto do que um grande ponto. Uma grande cruz por cima de um texto normalmente significa que ele está errado ou deve ser apagado.

Históricamente,não se sabe quando a primeira cruz foi feita; depois dos círculos, as cruzes são um dos primeiros símbolos desenhados por crianças de todas as culturas. Algumas das imagens mais antigas de cruzes foram encontradas nas estepes da Ásia Central e algumas em Altai. A cruz na velha religião altaica chamada Tengriismo simboliza o deus Tengri; ela não era uma cruz alongada, lembrava mais um sinal de adição (+).
Os primeiros livros cristãos da Armênia e da Síria traziam evidências de que a cruz se originou com povos nômades do leste, possivelmente uma referência aos primeiros povos turcos. Em velhos templos armênios, algumas influências de estilo turco são encontradas nas cruzes.
Quanto aos simbolos religiosos,a cruz é o simbolo mais usados,por cristão ou não.
. A The Encyclopedia Americana, contudo, fala do “seu antigo uso por parte tanto dos hindus como dos budistas na Índia e na China, e pelos persas, assírios e babilônios”. Similarmente, a Chambers’s Encyclopædia (edição de 1969), diz que a cruz “era um emblema ao qual se atribuiu significados religiosos e místicos muito antes da era Cristã”.

Sem dúvida, não há evidência de que os cristãos primitivos usavam a cruz na sua adoração.Durante os primitivos dias do cristianismo, eram os romanos pagãos que usavam a cruz! Diz a obra The Companion Bible: “Usavam-se essas cruzes como símbolos do deus-sol babilônico. . . e são vistas pela primeira vez numa moeda de Júlio César, 100-44 A.C., e daí numa moeda cunhada pelo herdeiro de César (Augusto), em 20 A.C.” O romano deus-natureza Baco era às vezes representado usando uma faixa em volta da cabeça contendo várias cruzes.
E de onde então veio o simbolismo e veneração da cruz na Igreja Católica??Em 312 EC, Constantino, que dominava a área hoje conhecida como França e Grã-Bretanha, partiu para guerrear contra seu cunhado, Maxêncio, da Itália. A caminho, ele teve, alegadamente, uma visão — uma cruz, sobre a qual havia as palavras “Hoc vince”, que significa: “Com este vencerás.” Após a sua vitória, Constantino fez da cruz o estandarte de seus exércitos. Quando mais tarde o cristianismo tornou-se a religião estatal do Império Romano, a cruz tornou-se o símbolo da igreja.
Por que, então, foi a cruz tão facilmente aceita pelos “cristãos”? O Dictionary, de Vine, prossegue: “Por volta dos meados do 3.° séc. A.D., as igrejas ou se haviam apartado ou tinham arremedado certas doutrinas da fé cristã. A fim de aumentar o prestígio do sistema eclesiástico apóstata, aceitavam-se pagãos nas igrejas, à parte de uma regeneração pela fé, e permitia-se-lhes em grande parte reter seus sinais e símbolos pagãos. Assim se adotou o Tau ou T, na sua forma mais freqüente, com a peça transversal um pouco mais para baixo, para representar a cruz de Cristo.”

The New Encyclopædia Britannica (A Nova Enciclopédia Britânica) chama a cruz de “o principal símbolo da religião cristã”. Num julgamento em tribunal na Grécia, a Igreja Ortodoxa Grega chegou a afirmar que aqueles que rejeitam a ‘Santa Cruz’ não são cristãos.

A Evolução da Cruz

Será que foi o amor a Cristo que fez com que a cruz se tornasse, naquela época tardia, tal objeto de veneração? A Encyclopædia of Religion and Ethics diz: “Com a chegada do 4.° século, a crença em poderes mágicos passou a se firmar mais solidamente no seio da Igreja.” Como no caso de um amuleto, simplesmente fazer o sinal da cruz era considerado “a mais segura defesa contra os demônios, e o remédio para todas as doenças”. O uso supersticioso da cruz continua até hoje.

O instrumento da morte de Jesus é mencionado em textos bíblicos como Mateus 27:32 e 40. Ali, a palavra grega stau·rós é traduzida por “cruz” em várias Bíblias em português por saber que o cotume dos Romanos era a crucificação.

1) A cruz com um braço transversal é a cruz do Evangelho. Seus quatro braços simbolizam os quatro elementos que foram viciados na natureza humana, o conjunto da humanidade atraída para o Cristo dos quatro cantos do mundo, as virtudes da alma humana. O pé da cruz enterrado no chão significa a fé assentada em profundas fundações. O ramo superior da cruz indica a esperança que sobe para o céu; a envergadura da cruz é a caridade que se estende aos inimigos; o comprimento da cruz é a perseverança até o fim.


2) A cruz com dois braços transversais representaria, no braço superior, a inscrição derrisória de Pilatos, Jesus de Nazaré, reio dos judeus. O braço inferior seria aquele em que se estenderam os braços de Cristo.


3) A cruz com três braços transversais tornou-se um símbolo da hierarquia eclesiástica, correspondendo à tiara papal, ao chapéu cardinalício e à mitra episcopal. A partir do século XV, só o papa tem direito à cruz com três braços transversais; a cruz dupla se fez privativa do cardeal e do arcebispo; a cruz simples, do bispo. (Chevalier, 1998)
A cruz além de símbolo do cristianismo,a partir do despreendimento dos hÁbitos judaicos de não fazer imagens de adoração,começou a fazer parte dos simbolos de adoração e peregrinação de cristão católicos.


Ao longo dos anos, desenvolveram-se cerca de 400 diferentes estilos de cruzes. De início, o próprio Cristo não era representado. Em vez disso, representava-se um jovem segurando uma cruz adornada com jóias. Mais tarde, foi incluído um cordeiro. Em 691 EC, o concílio em Trulo tornou “oficial” uma cruz portando o busto de um homem jovem, em vez de um cordeiro. Com o tempo, isto se transformou no crucifixo — uma cruz com a representação do corpo de Cristo.Abaixo,eis alguns exemplos que considero mais importantes,ou pelo menos mais conhecidas...



CRUZ LATINA:Também conhecida como Cruz Cristã ou crux ordinaria (em latim). É o símbolo mais comum do cristianismo, representando o sacrifício redentor de Jesus ao ser crucificado, conforme relatado no Novo Testamento.







CRUZ ANSADA:Ankh.Também conhecida como “Chave do Nilo” e Cruz Ansada (de “ansa”, termo antigo e poético para “asa”, utilizado em especial em contexto cristão, donde o termo latino Crux Ansata). Simbolizava a vida no Egito Antigo.






CRUZ COPTA:Coptas(cristão egipcios).Copta significa egipcio.Um pequeno círculo do qual emanam quatro braços de igual comprimento, com elementos em forma de T nos cantos (as hastes horizontais dos Tt apontam para o círculo) que representam os pregos usados na crucificação de Jesus.









CRUZ CELTA;Higth cross.São cruzes celtas de pedra encontradas na Irlanda e na Grã-Bretanha, comuns em igrejas e cemitérios, que se apresentam em pé e com um círculo.Particularmente acho que é a fusão da cruz solar com a latina,mas isso pe só uma observação amadora,hehehehe!









LÁBARO:O lábaro (labarum, em latim) de Constantino é um monograma de Jesus Cristo, do qual existem diversas formas. É formado a partir das letras gregas Chi (χ) e Rô,(ρ), iniciais de Χριστός (“Cristo”, em grego).






CRUZ PAPAL:Usada na heráldica eclesiástica. Também conhecida como Cruz Tripla ou Hierofante.




CRUZ PATRIARCAL:Outrora conhecida como Cruz de Lorena, possui um "braço" menor que representa a inscrição colocada pelos romanos na cruz de Jesus. Foi muito utilizada por bispos e príncipes da igreja cristã antiga; por vezes apresenta uma barra curta diagonal próximo ao seu pé, assemelhando-se a Cruz Eslavônica.





CRUZ DE SANTO ANDRÉ:Usada na bandeira nacional da Escócia, também é chamada crux decussata. Acredita-se que Santo André teria sido martirizado numa cruz deste formato. Em heráldica, dá-se o nome de sautor ou aspa à cruz em forma de X.





CRUZ DE SÃO JORGE:também usada na bandeira nacional da Inglaterra.









CRUZ DE SÃO PEDRO:Uma Cruz Latina invertida sobre o eixo horizontal (i.e., de cabeça para baixo), tem sua origem na crença de que São Pedro teria sido crucificado de cabeça para baixo. Nos dias de hoje está associada a grupos Anti-Cristo ou Satanicos.









CRUZ ESLAVÔNICA:Uma variação da Cruz de Lorena usada pela Igreja Ortodoxa Russa. A barra menor superior representa o apoio da cabeça. A barra diagonal inferior apontaria, para alguns, o céu (para cima) e o inferno (para baixo). As letras IC XC ao longo da barra principal são um monograma de Cristo. Também conhecida como Cruz Russa.







CRUZ ROSA CRUZ:Segundo os rosa cruz,esta cruz significa o corpo físico do homem, com os braços estendidos em saudação ao sol, ao leste. A rosa desabrocha no centro e representa a alma do homem, desenvolvendo-se dentro dele à medida que recebe mais luz. O uso da cruz em um altar, colocada em um rosário, ou em um pingente, funciona como a "Árvore da Vida", o emblema do eixo do mundo, situado no coração místico do Cosmos.






CRUZ SOLAR:Também conhecida como “disco solar” ou “Cruz de Odin” (por ser a representação deste deus na mitologia nórdica) Muitos a conhecem também por "Chalice Well, devido à História do Rei Arthur, que achava que o poço do Santo Graal tinha essa imagem no fundo.




CRUZ DE SANTO ANTÃO OU ANTONIO:Também conhecida como Cruz de Tau (´´tau´´ é a letra do alfabeto grego equivalente ao T, cuja forma adota), Cruz Egípcia e crux commissa. . Para os irlandeses, representa o martelo de Thor, o deus da Justiça. Esta cruz significa o sinal "daquele que se faz cumprir". São Francisco de Assis costumava usá-la como sua assinatura.




CRUZ GAMADA:Originalmente era outro símbolo consagrado ao deus Thor. É um dos mais importantes símbolos da Humanidade, e representa a força criativa do Cosmos em movimento. Hitler usou esta cruz de forma invertida, conseguindo assim, atrair as forças destrutivas.






CRUZ DE MALTA:Seus braços estreitam na direção do centro e são chanfrados nas extremidades. Também conhecida como Cruz de São João.Também conhecida como "Cruz do Mestre Saint Germain", ela tem oito pontas, representando o número de quem busca conhecer a espiritualidade para, depois, finalmente, chegar ao número nove, que representa a sabedoria.




CRUZ GREGA:
Uma Cruz Grega (reta, todos os braços de mesmo tamanho) seria um sautor se estiver girada 45 graus.



CRUZ DOS TEMPLÁRIOS:A Cruz dos Templários Portugueses, em 1160, era caracterizada pelos quatro ramos convexos, como podemos ver nesta foto que existe hoje no Convento de Tomar





PRIMEIRA CRUZ DA ORDEM DE CRISTO:Cruz originalmente utilizada pela Ordem de Cristo de Portugal. Desde então tornou-se um símbolo de Portugal, utilizado nas velas das naus no tempo dos Descobrimentos e actualmente pela Força Aérea Portuguesa.
Em 1357, aparece no Convento de Tomar a primeira Cruz da Ordem de Cristo, -- DERIVADA da Cruz dos Templários Portugueses, mas as bases das extremidades dos quarto braços são PLANOS



SEGUNDA CRUZ DA ORDEM DE CRISTO:Em 1400, a segunda Cruz da Ordem de Cristo, com as extremidades côncavas




TERCEIRA CRUZ DA ORDEM DE CRISTO-TORRE DE BELÉM-PORTUGAL:Nestas duas fotos das varandas da Torre de Belém, vemos claramente a segunda Cruz da Ordem de Cristo com as extremidades côncavas (do lado esquerdo a varanda virada para a foz do Tejo) e a terceira Cruz da Ordem de Cristo, com as extremidades terminando em 45 graus (do lado direito, varanda virada para a nascente do Tejo).


ORDEM DE CRISTO-



CRUZ DE JERUSALÉM:Foi a insígnia do Reino Latino de Jerusalém, que existiu por cerca de duzentos anos após a Primeira Cruzada. As quatro cruzetas nos cantos simbolizariam ou os quatro Evangelhos ou as quatro direções nas quais a Palavra de Cristo se espalhou, a partir de Jerusalém. Ou as cinco cruzes podem simbolizar as cinco chagas de Cristo durante a Paixão. O símbolo pode ser visto no filme “Cruzada” (“Kingdom of Heaven”, em inglês), de 2005.




CRUZ FLORENCIADA:As extremidades dos braços têm forma semelhante à flor-de-lis.



CRUZ PATONCE:Intermediária entre a cruz pátea e a florenciada. Algumas fontes a chamam de Cruz floreada.




CRUZES PEITORAIS-SEC.VI-XI




CRUZ DE BONAVAL:Este tipo de cruzes de pedra, como a Cruz de Bonaval, são muito típicas na Galiza e na Bretanha, no norte de França. A sua principal função era a de assinalar um cruzamento de caminhos. Correspondem a antigos sinais de trânsito. Outra das suas missões, mas esta mais popular era a de proteger as pessoas que eram surpreendidas pela Santa Compaña. A Santa Compaña é uma lenda muito conhecida na Galiza, bem como noutras culturas




fontes:Manuel Luciano da Silva, Médico-www.dightonrock.com/infelizmenteosportugueses.
wikipedia.
CHEVALIER, J., GHEERBRANT, A. Dicionário de Símbolos (mitos, sonhos, costumes, gestos, formas, figuras, cores, números). 12. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1998.
KARDEC, A. O Evangelho Segundo o Espiritismo. 39. ed. São Paulo: IDE, 1984.
XAVIER, F. C. Contos e Apólogos, pelo Espírito Irmão X. 3. ed. Rio de Janeiro: FEB, 1974.
São Paulo, 06/06/2005
Encyclopædia of Religion and Ethics